Arquivo da categoria ‘7ª série – Dr. Décio’

Crítica: Quem Quer Ser Um Milionário? Cinema | Omelete.

Quem Quer Ser Um Milionário?

Quem Quer Ser Um Milionário? (Slumdog Millionaire, 2008) joga o anzol e puxa a linha logo no primeiro frame. Ele começa perguntando como um menino da favela conseguiu chegar ao topo do jogo televisivo que dá o título nacional do filme. Dá as alternativas. E logo em seguida já mostra o rapaz sendo brutalmente torturado. O público está fisgado. A resposta é tudo o que interessa.

Na sequência começam a surgir outros aspectos igualmente empolgantes do novo filme do cultuado cineasta inglês Danny Boyle (ExtermínioSunshine). Enchem os olhos o visual de cores saturadas, a câmera na mão – veloz e inquieta -, e a montagem espertíssima, elementos cujos adjetivos aqui empregados podem ser transpostos às três crianças que o filme acompanha por uma monumental favela de Mumbai, India. Tudo embalado por uma trilha sonora moderna que mistura a música incidental A.R. Rahman com canções indianas contemporâneas e faixas ocidentais, como “Paper Planes”, da M.I.A, que aparece em duas versões.

Mas ao menos para os brasileiros deve surgir uma desconfortável má-impressão que se mantém ao longo de todo o primeiro ato. A pobreza é mostrada através de uma ótica que equilibra humor, drama e violência, o que lembra bastante nosso próprio novo clássico de exportação, Cidade de Deus. Felizmente, tal impressão é tão curta quanto a aparição de uma galinha correndo pela favela (juro que se a câmera a seguisse eu levantaria do cinema e iria embora, mas não foi o caso).

Essa idéia errada estende-se por todo o começo porque Boyle desvela seu filme com muita paciência, alternando cenas de um rapaz em três momentos. Conhecemos Jamal  (Dev Patel) sendo torturado e entendemos os motivos da tortura na sequência: a polícia quer saber como foi que ele, alguém totalmente desprovido de qualquer educação, conseguiu chegar tão longe no programa Quem Quer Ser Um Milionário?. Seria o jovem um sortudo? Um gênio? Um trapaceiro? Para responder às perguntas da lei, Jamal conta a história de sua infância. Orfão muçulmano, ele cresceu ao lado do irmão Salim e da pequena Latika, por quem nutre uma paixão protetora desde pequeno. Cada personagem é interpretado por três atores ao longo do filme. Todos são cativantes – especialmente os pequenos – mas Dev Patel Madhur Mittal destacam-se como Jamal e Salim na vida adulta. Já Freida Pinto, a Latika, se restringe a fazer o que deve: parecer linda feita um sari bordado a ouro.

O roteiro de Simon Beaufoy, que adaptou o romancebest-selller indiano Q & A, de Vikas Swarup, no entanto, não é sobre dinheiro, mas uma história de amor e destino. Um impensável feel good movie cheio de lixo, violência e exploração – um inusitado filme-família brutal e ao mesmo tempo adorável, uma mistura perfeitamente homogênea do que seriam dois outros filmes de Boyle, Trainspotting e Caiu do Céu, se fossem feitos em Bollywood, o caricato maior mercado cinematográfico do mundo. E quando o plano do cineasta é revelado, em uma guinada de roteiro daquelas pra lembrar pra sempre, cada pedacinho da trama se encaixa, revelando um quebra-cabeça que é não apenas tudo o que já foi comentado aqui, mas também uma homenagem à India, ao seu cinema e, mais importante, às suas pessoas.

“Você queria uma visão da Índia verdadeira? Aqui está!”, diz em determinada hora Jamal a um turista. Quem Quer Ser Um Milionário? é uma visão real do país, sim, mas carregada de toda a realidade que uma fantasia é capaz de criar.

Anúncios

Conflitos na Líbia

Publicado: 25/09/2011 por profmurilo2010 em 7ª série - Dr. Décio

Líbia é um país localizado no norte da África, limitado pelo Mar Mediterrâneo, Egito, Sudão, Chade, Níger, Tunísia e Argélia. Em sua história já foi território de povos fenícios, romanos, turcos, árabes e gregos. Mais recentemente esteve controlado pela Itália e, após a 2ª Guerra Mundial, por ingleses e franceses.

A Líbia é um país independente desde 1952 e possui um dos maiores IDH’s da África – 0,755.


Há aproximadamente 7 meses atrás os conflitos na Líbia ganharam força e se tornaram notícia em todo o mundo.

# Motivos

Os conflitos se intensificaram quando os protestos de uma parcela da população que não está representada no governo de Muamar Kadafi, no poder desde 1969, tomaram maiores proporções.  São habitantes do leste do país, na fronteira com o Egito que, influenciados pelas manifestações que ocorreram antes na Tunísia e no Egito, também passaram a reivindicar maior participação na distribuição da riqueza da Líbia e maior representatividade junto ao governo. Há cerca de 10 grandes tribos no país, subdivididas em várias outras. Mas o ditador favorece enormemente a pequena tribo a que pertence (a dos Kadafa) e as elites são extremamente corruptas.

# Rebeldes

O grupo é uma combinação de todas as camadas da população líbia. São liderados por uma classe média com maior nível de educação escolar. Mas o esforço mesmo é da grande massa mais humilde. Sem ela, o grupo não teria conseguido tantas vitórias na guerra.


#Armas

No geral, os rebeldes têm armas relativamente rudimentares, com equipamentos montados sobre automóveis. Mas estão conseguindo equipamentos melhores através da tomada de áreas com arsenais do governo e conforme vão conseguindo o apoio de dissidentes do exército e das forças armadas em geral.

#Momento

O governo ditatorial de Kadafi existe desde o fim década de 60.  O governo tinha grande apelo popular e os seus oponentes não eram tão organizados como agora. Mesmo tendo uma distribuição de renda injusta, a população geral se beneficiou de alguma forma com parte dos recursos da exportação do petróleo. O padrão de vida de sua população é um dos melhores da África.  Mas as manifestações ocorridas nos  países vizinhos mudaram tudo e incentivaram a população a agir.

# A queda do governo

Provavelmente o atual presidente irá cair, mas ninguém sabe quanto tempo isso vai levar, se vai gerar ainda mais violência, se ele vai se exilar em algum outro páis ou se vai morrer lutando. No Egito, o ditador caiu sem luta porque o poder, assim como antes, ainda está nas mãos dos militares. Na Líbia, a proposta é substituir todo o governo, tanto o ditador quanto o grupo que ele lidera. E tem a questão econômica: a população estava vivendo em melhores condições do que em outros países africanos.

# ONU e OTAN

O Conselho de Segurança da ONU aprovou  o congelamento do patrimônio de Kadhafi e de seus principais parceiros e impôs uma zona de exclusão aérea sobre o território líbio e isso impediu à força aérea da Líbia atuar contra os rebeldes. Foi um elemento importante , sem o qual eles provavelmente teriam sido massacrados pelo governo. A OTAN iniciou uma intervenção militar no país em março, que deverá ser mantida até que Kadafi deixe o poder.

# Impacto para o mundo

O país tem petróleo, mas não tanto, e o governo de Kadafi adotou uma política que isolou a nação do resto do mundo. Mas o país pode se tornar símbolo da capacidade de grupos rebeldes derrubarem um governo que estava há tanto tempo no poder. O presidente da Síria, por exemplo, cuja ditadura está sendo também ameaçada por protestos, deve estar olhando para essa situação com preocupação.

Fonte: Entenda o conflito na Líbia em 10 perguntas e repostas

América Latina

Publicado: 07/08/2011 por profmurilo2010 em 7ª série - Dr. Décio

O continente latino americano possui uma grande variedade cultural, social e econômica entre os seus países. Uma grande semelhança entre eles é que todos tiveram sua colonização por exploração seja por espanhois ou portugueses. Outra semelhança é a adoção do idioma espanhol na grande maioria dos países.

Com o passar do tempo esta forma de colonização, misturada com os conflitos entre colonizadores, povos indígenas locais, escravos africanos e imigrantes, gerou diferentes características locais, de acordo com as culturas que se enfrentavam e misturavam. Essas diferenças vão desde aspectos culturais, como ritmos e músicas, até diferentes níveis de desenvolvimento dos países, gerando desigualdades socio-econômicas muito fortes.

Algumas das características desta variedade existente na América Latina são:

– Grande crescimento econômico recente de países como Brasil, Argentina, México e Chile.

Cidade do México

São Paulo

– Países com grande atraso econômico e muitos problemas estruturais: Haiti, Bolívia e Nicarágua.

– Vasta riqueza natural com grande variedade de paisagens: Cordilheira dos Andes, Floresta Amazônica, Deserto do Atacama, Patagônia, etc.

Patagônia

Deserto do Atacama

– Grande destruição ambiental causada pelo aumento da produção e crescimento das cidades.

– Grande variedade cultural com muitos ritmos musicais, várias danças típicas e costumes: Rumba, Salsa, Samba, Cumbia, Tango, etc.

Cumbia

– Grande rivalidade entre alguns países da América Latina por motivos econômicos, territoriais ou históricos: Brasil x Argentina, Venezuela x Colômbia, Chile x Bolívia, Honduras x Nicarágua, etc.

– Grande presença cultural indígena, seja nos idiomas falados no continente ou seja nos costumes herdados pelas populações dos países.

Machu Picchu

Povos Ameríndios

– Drástica redução da população indígena nos países da América Latina, que são perseguidos por preconceitos e veem suas terras serem tomadas por grande empresários e corporações comerciais.

Para maiores informações, acesse os seguintes sites:

América Latina – Mundo Vestibular

Economia da América Latina – Colégio Web

Desenvolvimento da América Latina – G1

Características gerais da América Latina – Cola da Web

Subdesenvolvimento  latino americano

Povos ameríndios

Astecas, Incas e  Maias