Arquivo de outubro, 2010

Big Brother

Publicado: 25/10/2010 por profmurilo2010 em 8 série - Dr. Décio

O termo “Big Brother” foi criado por George Orwell no livro “1984”, lançado em 1949. O tal “Grande Irmão” era uma ferramenta criada pelo governo para que as pessoas seguissem o que era determinado pelo poder e a sociedade vivesse em harmonia. Para controlar isto haviam telas (televisões?) espalhadas por todos os cantos espiando o comportamento das pessoas. Caso alguma demonstrasse não concordar com o que era determinado ou agisse de modo que não agradasse ao Big Brother o exército era colocado em ação para punir quem agisse de maneira errada.

Podemos comparar ações dos Estados Unidos da América com o Big Brother? Afinal, são considerados a nação mais poderosa do mundo, influenciando no comportamento de muitas pessoas e governos de países.

O pior é que quando alguma nação ou governo contraria as suas vontades, o Grande Irmão norte-americano logo intervém para “punir” quem ousou desobedecê-lo e colocar tudo em ordem novamente, conforme a sua vontade. Exemplos não nos faltam, principalmente após a Segunda Guerra.

A invasão americana ao Vietnã por causa da “ameaça” comunista vinda do norte. Resultou na morte de quase 4 milhões de vietnamitas e cerca de 50 mil americanos, além de uma grande derrota aos Estados Unidos.

As invasões americanas ao Iraque, ambas patrocinadas pela família Bush para retirar o ditador Saddam Hussein do poder, procurar armas de destruição em massa e, de quebra, controlar as imensas reservas de petróleo do país.

A invasão americana no Afeganistão marca o início da guerra contra o terrorismo promovida pelos Estados Unidos. O objetivo era retirar o Taliban do poder e encontrar Osama Bin Laden. Além de reforçar a presença americana no Oriente Médio e… controlar as reservas de petróleo da região.

 

Sobre as intervenções americanas:

– Na sua opinião, quais são os impactos dessas intervenções?

– Por que existe essa insistência norte-americana em controlar o modo de vida nos outros países?

– O que os Estados Unidos ganham com essas interferências em outros países?

 

Anúncios

Conflitos na África

Publicado: 25/10/2010 por profmurilo2010 em 8 série - Dr. Décio

Os conflitos na África envolvem povos diferentes, muitos dos quais foram forçados a conviver dentro do território de um mesmo país. A divisão dos países africanos foi traçada pelos colonizadores europeus, não respeitando a antiga organização tribal e a distribuição geográfica das etnias.

Quando houve a descolonização europeia após a Segunda Guerra a divisão por países colocada pelos europeus continuou existindo. Ou seja, muitas etnias inimigas ficaram em um mesmo país e às vezes entram em conflitos armados na luta pelo controle do território ou pela separação de parte dele.

Além disso, a extrema pobreza também tem auxiliado na geração de conflitos no continente africano.

Alguns dos principais conflitos recentes na África foram: Nigéria-Biafra, Eritreia e Ruanda.

Fonte: Geografia e globalização – 9º ano – Eustáquio de Sene e João Carlos Moreira – Editora Scipione.

Atividade: Pesquise sobre estes conflitos africanos, buscando suas causas, impactos e situação atual nesses países.

Ninguém regula a América

Publicado: 09/10/2010 por opaz em Geoinfo

Desenhos das turmas 171 e 172 do Dorothea…

Intervencionismo estadunidense

Publicado: 09/10/2010 por opaz em Geoinfo

Ninguém regula a América

Satélites de cima
vigiando todos os atos de rebeldia
MST observado pela CIA
um avião cara-de-pau
preso na China
painel de controle
cidades sem culpa
na sensação do protocolo de Kioto
carbonizado em plena chuva
de armas exportadas
sangrando no dólar
o dólar dos outros
coagulado e globalizado
nas veias abertas
de outra dívida externa

Satellites from above
controling all the rebel act
nosy plane cought in China
pushing doors in Colombia
carbonized under the rain
globalized bleeding the dollar
under the Wall Street sky
risking everybody’s lives

ninguém regula a América
nobody fucks with America

Forçando a porta da Colombia
com uma hipocrisia que vicia
o intelecto de Brasília
e outras capitais
estreladas deixando a bandeira
de fardas
que segue na arrogância
independente de quem for
O W. Bush de plantão
que engatilha um novo missel sem limites
sobre o céu de Wall Street
arriscando a todos
com o medo de perder
mais uma guerra

ninguém regula a América
nobody fucks with America