Arquivo da categoria ‘8 série – Dr. Décio’

Todas as etapas da Globalização Capitalista – Produção, Circulação e Consumo – acabam afetando, de alguma forma, toda sociedade mundial.

Os padrões de consumo atuais têm tornado o nosso modo de vida insustentável, trazendo o crescimento de problemas ambientais, alimentares, sociais e econômicos.

O documentário “A História das Coisas” (Anne Leonard, 2006) mostra claramente todas essas conexões entre estímulo ao crescimento da produção sem levar em conta os impactos ambientais, o papel do incentivo ao consumo de supérfluos e a descaracterização social e pessoal diante da vontade de “ter as coisas”.

Além disso, também mostra de que forma uma mínima parte da população mundial consegue enriquecer explorando  as demais populações, seja através do trabalho ou do estímulo ao consumo. E, ainda, esclarece de que forma a “Obsolescência Planejada” sustenta o consumo de produtos tecnológicos.

A qualidade de vida é deixada de lado em troca de algum produto novo!

Anúncios

Visual Global

Publicado: 19/05/2013 por profmurilo2010 em 8 série - Dr. Décio
Tags:,

Tempos atrás havia um comercial que dizia: “Imagem não é nada!”

Será?

Observe as imagens abaixo.

 

 

Agora, tente interpretá-las:

– De que forma essas imagens se relacionam com o conceito de Globalização?

– Qual seria o significado da 2ª imagem?

– Qual a relação entre EUA e Brasil na 7ª imagem?

– De que forma podemos relacionar a 4ª e a 8ª imagem?

– A 3ª e a 10ª imagens falam sobre comunicação. De acordo com a imagens, como ela acontece atualmente?

– Qual a relação da 9ª imagem com Globalização?

– A 5ª e a 6ª imagem falam sobre efeitos da Globalização. Conforme a imagens, que efeitos são esses?

Game: Globalização e Economia

Publicado: 19/05/2013 por profmurilo2010 em 8 série - Dr. Décio
Tags:

Uma das características da Globalização é a influência econômica que países e grupos empresariais possuem em diferentes territórios. Essa influência pode trazer benefícios e malefícios, dependendo da maneira que os agentes envolvidos vinculam o capital e a qualidade de vida da população.

A influência econômica de um país no outro pode ser comprovada através das recentes crises do capital nos Estados Unidos e em diversos países da Europa. Um país em crise pode comprometer a “saúde” econômica de outros, pois existem contratos e acordos entre países que deixaram de ser cumpridos e, consequentemente, gerarão prejuízos.

game

Uma forma de entender como se dá essa influência, e quais fatores e índices influenciam nas economias do mundo, vamos jogar o game “Supercrise da economia mundial” que aborda essa relação econômica entre os países e índices de comparação.

Após jogar, pesquise sobre o significado de cada um dos critérios utilizados no jogo e explique quando eles podem ser positivos ou negativos para um país.

Fonte: Geografia Visual

 

A crise na Europa (e no capital)

Publicado: 02/04/2013 por profmurilo2010 em 8 série - Dr. Décio

A música acima, uma versão da banda Pet Shop Boys para “Go West”, do Village People, foi considerada no início da década de 90 um hino de libertação dos países do Leste Europeu, anteriormente pertencentes à União Soviética ou que viviam sob a sua influência no período da Guerra Fria.

(Fonte: Contra-Movimento)

Fala-se em libertação porque, ainda que de forma irônica, conclama os países a se libertarem do “atraso do socialismo” e, juntos, rumarem para o Oeste. Ou seja, seguir a onda Capitalista, impulsionada principalmente pelo American Way Life, e atingir um alto grau de desenvolvimento econômico e social.

Passados os anos e, atualmente, pode ser observado que alguns dos países do antigo bloco oriental europeu que adotaram o modo capitalista de vida, mas com resquícios da ideologia socialista, conseguiram sair menores danos da crise capitalista que assolou as grandes economias tradicionais do mundo desde 2008.

Por exemplo, a Hungria hoje é considerada um dos países da Europa com maior estabilidade econômica, mesmo com crescimento entre 3 e 4%, este é superior ao de grandes potências historicamente capitalistas como a Inglaterra, que tem alcançado 0,5%.

Outro exemplo é a Polônia que tem tido crescimento econômico em torno de 4,4%. Mas também possui suas mazelas, como o desemprego atingindo 12%. Essa taxa é menor que a de Portugal (17%), e este possui menor crescimento, alcançando no máximo 1,9% e seguindo em queda.

Um exemplo é a atual crise europeia, quando observamos países como Grécia, Espanha, Portugal, Itália e Irlanda com crescimento da dívida pública e recordes de desemprego (22% na Espanha) e, ainda, países com economia mais forte como Alemanha, França e Reino Unido começando a perceber que tem tomado o mesmo rumo que os países anteriores (veja aqui o infográfico). Se compararmos com dados dos países do antigo bloco socialista oriental, a maioria destes tem apresentado maior estabilidade econômica. O que não significa que também não irão passar pela crise que os demais países passam.

Resumindo, o modo de vida capitalista, propalado durante a Guerra Fria como sendo o ideal para a humanidade e deveria ser seguido por todos, mostrou-se falho quando não se leva em conta que a sua própria organização leva a sua crise. Um hora o cachorro vai morder o próprio rabo. Isto não quer dizer que o Socialismo seja a salvação, mas que a preocupação social deve caminhar unida ao capital para que, atualmente, possa haver um real desenvolvimento humano, econômico e social.

Terrorismo, preconceito e medo

Publicado: 04/11/2010 por profmurilo2010 em 8 série - Dr. Décio

Duas novas formas de terrorismo recentes são demonstradas através de atitudes preconceituosas de grupos de pessoas contra outro grupo determinado, sendo este considerado inferior ou prejudicial aos outros. Essas novas formas de terrorismo são o Neonazismo e a Xenofobia.

O neonazismo seria o retorno da ideologia criada por Hitler no começo da década de 20 do século passado. Os seguidores do neonazismo promovem o preconceito contra grupos homossexuais, negros, índios, judeus e comunistas, considerando a “raça pura ariana” superior a esses grupos. Para demonstrar essa superioridade partem para agressões físicas, psicológicas e morais contra os que consideram inferiores. Os grupos neonazistas por vezes encontram grande oposição nos grupos punks, fazendo com que haja uma grande onda de violência cada vez que esses grupos se cruzam em qualquer lugar do mundo.

A Xenofobia é a aversão a estrangeiros ou à pessoas vindas de outros locais. Nesse caso, há um grande medo da população  dos locais que possuem uma grande entrada de imigrantes percam seus empregos para esses grupos e com isso vejam sua qualidade de vida cair. Isso sem contar que ainda há o medo de ver a cultura local ser muito transformada e descaracterizada por causa da chegada de pessoas de locais diferentes. Para demonstrar a aversão a outra pessoa os xenófobos partem para insultos, agressões físicas e psicológicas e, em alguns casos, chegam a criar leis proibindo a entrada de pessoas de fora do lugar.

 

Tanto o Neonazismo quanto a Xenofobia estão presentes no Brasil através da atuação de alguns grupos, a sua maioria escondidos.

Pesquise mais sobre essas duas novas formas de terrorismo e como elas agem no Brasil e depois responda:

– Como o Brasil, um país formado por diversas etnias, pode possuir grupos neonazistas e xenófobos?

– De que forma isto pode prejudicar a sociedade brasileira?

– O que fazer para evitar o crescimento do preconceito na nossa sociedade?

 

Fonte:  http://xenofobia1.blogspot.com/2008/06/neonazismo.html